Etiquetagem do pescado

Página - 6. Maio, 2010

Etiquetagem do pescado

Usa o cursor para ver mais pormenores neste gráfico

Supermarket 1
Supermarket 2
Supermarket 3
Supermarket 4
Supermarket 5
Supermarket 6

Lidl 58% 

O Lidl está a rever o seu sistema de etiquetagem e pretende incluir mais informações do que as legalmente exigidas para o pescado congelado não processado, como as subzonas de pesca e os métodos de captura.

Em pelo menos 50% dos produtos de peixe, o consumidor não tem acesso a informação sobre a espécie de peixe, método de produção ou zona de captura, uma vez que estas indicações ainda não são obrigatórias para conservas, produtos processados e produtos para animais. Ainda assim, uma das marcas de processados do Lidl já identifica a espécie de peixe utilizada no produto.

Esconder este texto

Continente e Modelo 53%

A Sonae implementou uma novidade na etiquetagem dos seus produtos frescos: para além do nome comum, as etiquetas do peixe nacional vão apresentar também a zona de captura e o método de captura genérico.

No entanto, a informação que acompanha o restante pescado vendido no Modelo e Continente ainda não elucida suficientemente o consumidor. Tal como na maioria dos supermercados em Portugal, os produtos de marca própria e produtos vendidos a granel apresentam, frequentemente, apenas um nome muito genérico.

Em pelo menos 50% dos produtos de peixe à venda, o consumidor não tem acesso a informação sobre a espécie de peixe, método de produção ou zona de captura, uma vez que estas indicações ainda não são obrigatórias para conservas, produtos processados e produtos para animais.

Esconder este texto

Intermarché 8% 

Intermarché: pior nota do mercado para a etiquetagem do pescado!

Os produtos de pescado das várias marcas próprias do Intermarché (actualmente a empresa comercializa 98 marcas próprias nas suas lojas) carecem frequentemente de informação, mesmo quando esta é obrigatória - para muitas referências de Pescada, Bacalhau e Camarão apenas é mencionado um nome genérico (ex. Pescada em vez de Pescada-branca), faltando o nome científico, a zona de captura e o método de produção. Alguns dos produtos de peixe vendidos mencionam apenas que se trata de “peixe branco” ou “peixe do oceano”.

Em pelo menos 50% dos produtos de peixe, o consumidor não tem acesso a informação sobre a espécie de peixe, método de produção ou zona de captura, uma vez que estas indicações ainda não são obrigatórias para conservas, produtos processados e produtos para animais.

Esconder este texto

Jumbo e Pão de Acúcar 45%

Tal como na maioria dos supermercados em Portugal, a informação que acompanha o pescado vendido no Jumbo e Pão de Açúcar ainda não elucida suficientemente o consumidor.

Na marca própria e produtos vendidos a granel frequentemente só é apresentado um nome muito genérico, como 'Bacalhau' ou 'Pescada, não sendo possível identificar devidamente a espécie ou a sua proveniência.

Em pelo menos 50% dos produtos de peixe, o consumidor não tem acesso a informação sobre a espécie de peixe, método de produção ou zona de captura, uma vez que estas indicações ainda não são obrigatórias para conservas, produtos processados e produtos para animais.

Esconder este texto

Pingo Doce e Feira Nova 8% 

Tal como na maioria dos supermercados em Portugal, a informação que acompanha o pescado vendido no Pingo Doce e Feira Nova ainda não elucida suficientemente o consumidor.

Nos produtos de marca própria e produtos vendidos a granel, frequentemente, só é apresentado um nome muito genérico, como 'Bacalhau' ou 'Pescada', não sendo possível identificar devidamente a espécie ou a sua proveniência.

Em pelo menos 50% dos produtos de peixe, o consumidor não tem acesso a informação sobre a espécie de peixe, método de produção ou zona de captura, uma vez que estas indicações ainda não são obrigatórias para conservas, produtos processados e produtos para animais.

Esconder este texto

Minipreço 20%

Os produtos da marca Dia à venda nos supermercados Minipreço não oferecem sequer a informação mínima que deve obrigatoriamente constar nas embalagens.

Os produtos de pescado da marca Dia são dos piores identificados do mercado - uma quantidade considerável de etiquetas só apresenta um nome genérico (ex. Pescada), faltando mencionar o nome cientiíico, a zona de captura ou método de produção, apesar desta informação ser obrigatória por lei.

Em pelo menos 50% dos produtos de peixe, o consumidor não tem acesso a informação sobre a espécie de peixe, método de produção ou zona de captura, uma vez que estas indicações ainda não são obrigatórias para conservas, produtos processados e produtos para animais.

Esconder este texto

Este critério avalia se os supermercados fornecem nas etiquetas dos produtos de peixe, catálogos e websites os elementos necessários para que os consumidores possam fazer uma escolha responsável e informada.

As etiquetas dos produtos de pescado selvagem têm, no mínimo, que incluir o nome comum e científico das espécies, zona de captura (como definido pela FAO) e o método de produção (captura ou criação). Os produtos que contêm várias espécies de peixe devem referir cada uma em separado. A Greenpeace faz campanha para que seja obrigatório acrescentar as estes elementos referências ao stock e método de pesca exacto.

Os produtos de aquacultura devem referir os nomes comum e científico, o país de origem e método de produção. A Greenpeace defende que os consumidores devem ainda ter acesso a informações sobre a espécie – ou seja, se esta "ocorre naturalmente", se é "domesticada" ou se é uma espécie introduzida - e ainda sobre o método de produção utilizado.

O supermercado deve também disponibilizar informações adicionais para os consumidores no website da empresa ou através de panfletos informativos. Para saber mais, consulta as exigências da Greenpeace para a etiquetagem de produtos de pesca e aquacultura (em inglês).

Esconder este texto

Entra em acção:

Pressiona os supermercados para que melhorem o seu desempenho neste critério

Incentiva o teu supermercado a não se cingir às obrigações legais e pede que inclua também nas embalagens dos produtos de pesca informações sobre as espécies, stocks e métodos de captura ou produção utilizados.

Exige aos fornecedores que coloque nas etiquetas, rótulos e catálogos informações completas sobre os produtos de pesca que vendem. Tens o direito de ser informado sobre os produtos que pretendes adquirir!

A protecção dos oceanos é da responsabilidade de todos nós!

Que significam as percentagens?
100%
70%
Possui uma política de compra de peixe aceitável que deve ser respeitada e melhorada no futuro.
70%
40%
Foram tomadas medidas relativas a uma política de compra de peixe sustentável, mas são necessárias acções mais concretas para que atinja um nível aceitável.
40%
0%
É necessário agir urgentemente para melhorar a política de compra de peixe.