Reservas marinhas

A reserva marinha da Ilha de Apo é um dos melhores exemplos de protecção das espécies marinhas nas Filipinas. Está comprovado que as reservas marinhas são uma excelente medida para proteger as espécies em vias de extinção e restaurar o equilíbrio aos ecossistemas.

Existe um crescente volume de provas científicas que demonstram que o estabelecimento de redes de reservas marinhas em larga escala, necessárias urgentemente para proteger as espécies marinhas e os seus habitats, poderia ser a solução para inverter o declínio das pescas em todo o mundo.

As reservas marinhas podem beneficiar as reservas de pesca adjacentes tanto pelo “excedente” de peixe adulto e juvenil que ultrapassaria as fronteiras da reserva, como pela exportação de ovos e larvas. Dentro das reservas, as populações aumentariam de tamanho e os espécimes viveriam mais tempo, cresceriam mais e desenvolveriam um maior potencial reprodutor.

As reservas marinhas podem mesmo vir a beneficiar as espécies altamente migratórias, como os tubarões, o atum e o espadarte, se forem criadas em locais onde essas espécies são actualmente bastante vulneráveis, como os locais de criação, de desova ou de agrupamento, como as montanhas submarinas.

As reservas marinhas em larga escala seriam áreas fechadas a todos os fins extractivos, como a pesca ou a exploração mineira, e também às actividades de eliminação. No interior dessas áreas poderiam existir zonas centrais onde não seriam permitidas actividades humanas, por exemplo áreas que actuassem como zonas de referência científica ou áreas onde existissem habitats ou espécies especialmente sensíveis.

Algumas áreas dentro da zona costeira poderiam estar abertas à pesca não destrutiva e de pequena escala, desde que sustentável dentro dos limites ecológicos, e estabelecidas com recurso à participação total das comunidades locais afectadas.

As Reservas Marinhas (RMs) não se limitariam a tratar da sobrepesca – embora uma das principais razões para a criação das RMs seja a preservação das populações de peixe. São cada vez mais vistas como um instrumento global essencial para proteger o ambiente marinho, inclusive relativamente à poluição – provocada em especial pela eliminação de resíduos (resíduos radioactivos, munições e dióxido de carbono).

Novidades

 

Nova receita para o bacalhau

Publicação | 15. Junho, 2010 em 14:37

O bacalhau é o peixe mais icónico da gastronomia portuguesa. Esta espécie, pescada e consumida por portugueses há mais de 500 anos, é considerada a mais lucrativa da história e mantém-se ainda hoje como a principal espécie no nosso prato.

Esperanza investiga e documenta as consequências da pesca de arrasto no Árctico

Fotografia | 14. Junho, 2010 em 7:46

Imagem do fundo do mar (entre 90 e 190 metros de profundidade) durante a expedição Árctico sob Pressão. O navio da Greenpeace Esperanza está a investigar e documentar as consequências da pesca de arrasto e alterações climáticas no Oceano Árctico.

Câmaras captaram imagens cheias de biodiversidade no Árctico

Fotografia | 13. Junho, 2010 em 7:06

A Greenpeace utilizou avançadas tecnologias de registo de imagem para explorar o fundo do Oceano Árctico a Norte de Svalbard. As câmaras captaram imagens cheias de biodiversidade neste oceano até agora pouco conhecido.

Pequenos Icebergues vieram parar a Magdalenefjord

Fotografia | 12. Junho, 2010 em 7:42

Pequenos Icebergues desprenderam-se e vieram parar a Magdalenefjord em Svalbard. Este é um destino bastante popular para os passageiros dos navios de cruzeiro que visitam a região.

Navio de pesca localizado no Oceano Árctico

Fotografia | 12. Junho, 2010 em 7:32

O Navio Krasnoselsk, com bendeira da Rússia, foi localizado nas coordenadas 79o10.0'N 008o34.0' Este navio está registado como pertencente à empresa COMSERV-FISH. Provavelmente está à procura de bacalhau ou arinca.

Navio avistado a praticar a pesca de arrasto

Fotografia | 12. Junho, 2010 em 7:11

O Navio Martha Arendsee, com bandeira da Rússia, foi avistado pela tripulação do Esperanza a praticar a pesca de arrasto nas águas do Oceano Árctico, nas coordenadas 79o24.4' N 008o24.9' E.

Navio da Greenpeace inicia expedição para documentar operações de pesca no Oceano Árctico

Artigo | 10. Junho, 2010 em 20:17

O navio da Greenpeace, Esperanza, inicia hoje uma expedição de documentação nas águas do Oceano Árctico, a norte de Svalbard, como parte da expedição “Árctico sob pressão”. A organização alerta que as alterações climáticas estão a permitir que...

Investigador regista informações da analise de amostras de água

Fotografia | 6. Junho, 2010 em 7:11

Um investigador do Plymouth Marine Lab regista informações recolhidas durante a analise de amostras de água expostas a elevados níveis de CO2. O aumento do nível de CO2 na atmosfera terrestre está a causar alterações à composição bioquímica da...

Activistas da Greenpeace bloquearam a entrada do Pingo Doce do Cais do Sodré em Lisboa

Artigo | 26. Maio, 2010 em 20:33

Portugal — Activistas da Greenpeace bloquearam a entrada do Pingo Doce do Cais do Sodré, em Lisboa, com mensagem “Pingo Doce esgota os oceanos de Janeiro a Janeiro”. A acção serviu para mobilizar os milhares de consumidores que passam no local a...

11 - 20 de 318 resultados.