Reservas marinhas

A reserva marinha da Ilha de Apo é um dos melhores exemplos de protecção das espécies marinhas nas Filipinas. Está comprovado que as reservas marinhas são uma excelente medida para proteger as espécies em vias de extinção e restaurar o equilíbrio aos ecossistemas.

Existe um crescente volume de provas científicas que demonstram que o estabelecimento de redes de reservas marinhas em larga escala, necessárias urgentemente para proteger as espécies marinhas e os seus habitats, poderia ser a solução para inverter o declínio das pescas em todo o mundo.

As reservas marinhas podem beneficiar as reservas de pesca adjacentes tanto pelo “excedente” de peixe adulto e juvenil que ultrapassaria as fronteiras da reserva, como pela exportação de ovos e larvas. Dentro das reservas, as populações aumentariam de tamanho e os espécimes viveriam mais tempo, cresceriam mais e desenvolveriam um maior potencial reprodutor.

As reservas marinhas podem mesmo vir a beneficiar as espécies altamente migratórias, como os tubarões, o atum e o espadarte, se forem criadas em locais onde essas espécies são actualmente bastante vulneráveis, como os locais de criação, de desova ou de agrupamento, como as montanhas submarinas.

As reservas marinhas em larga escala seriam áreas fechadas a todos os fins extractivos, como a pesca ou a exploração mineira, e também às actividades de eliminação. No interior dessas áreas poderiam existir zonas centrais onde não seriam permitidas actividades humanas, por exemplo áreas que actuassem como zonas de referência científica ou áreas onde existissem habitats ou espécies especialmente sensíveis.

Algumas áreas dentro da zona costeira poderiam estar abertas à pesca não destrutiva e de pequena escala, desde que sustentável dentro dos limites ecológicos, e estabelecidas com recurso à participação total das comunidades locais afectadas.

As Reservas Marinhas (RMs) não se limitariam a tratar da sobrepesca – embora uma das principais razões para a criação das RMs seja a preservação das populações de peixe. São cada vez mais vistas como um instrumento global essencial para proteger o ambiente marinho, inclusive relativamente à poluição – provocada em especial pela eliminação de resíduos (resíduos radioactivos, munições e dióxido de carbono).

Novidades

 

Nova receita para o bacalhau

Publicação | 15. Junho, 2010 em 14:37

O bacalhau é o peixe mais icónico da gastronomia portuguesa. Esta espécie, pescada e consumida por portugueses há mais de 500 anos, é considerada a mais lucrativa da história e mantém-se ainda hoje como a principal espécie no nosso prato.

Uma Receita para a Biodiversidade

Publicação | 6. Maio, 2010 em 10:47

Em 2010, com a celebração do ano Internacional da Biodiversidade, Ban Ki-Moon, Secretário Geral das Nações Unidas, lembra ao mundo que “uma grande parte dos recursos que assumimos como inesgotáveis estão hoje gravemente ameaçados, implicando...

Uma receita para o desastre

Publicação | 5. Maio, 2010 em 12:46

Os oceanos do planeta estão em crise. As práticas destrutivas de pesca e a sobrepesca têm um enorme impacto na biodiversidade dos oceanos e são reconhecidas como a maior ameaça ao meio aquático global. As estatísticas da Organização das...

Lista vermelha de bolso: leva-a sempre contigo

Publicação | 24. Outubro, 2008 em 14:14

Leva a lista vermelha de peixes contigo sempre que fores ao supermercado fazer compras. Consulta-a quando fores comprar peixe e faz uma escolha consciente.

Lista vermelha de peixes

Publicação | 24. Junho, 2008 em 23:00

Lista vermelha de peixes vendidos nos supermercados portugueses que podem provir de pescarias não sustentáveis.

1 - 8 de 8 resultados.