A Greenpeace em Portugal

Página - 21. Fevereiro, 2008
Tradicionalmente, os Portugueses têm sido activistas dinâmicos nas campanhas da Greenpeace e têm feito contribuições assinaláveis a nível financeiro, como voluntários ou através da divulgação dos pedidos da organização.

Outubro de 2008 - Activista da Greenpeace coloca banner em barco pirata no Porto de Aveiro.

Primeira campanha em Portugal


Portugal é o país da União Europeia com o maior consumo de peixe per-capita – uma média de 57Kg por ano. Há apenas três anos, apesar do declínio crescente dos stocks de peixe a nível mundial estar no centro dos debates científicos, poucos consumidores portugueses estavam conscientes do verdadeiro custo do seu consumo de peixe para os ecossistemas marinhos e nenhum dos principais retalhistas do país possuía uma política que garantisse a sustentabilidade e legalidade do peixe à venda nas suas lojas.

Esta realidade, aliada à urgência de proteger a biodiversidade nos oceanos, motivou a Greenpeace a integrar Portugal na sua estratégia internacional e iniciar uma campanha para mercados de peixe sustentáveis no país. Nesse sentido, apesar da inexistência de um escritório de apoio no terreno, a Greenpeace criou uma presença virtual com uma equipa dedicada ao desenvolvimento da campanha e responsável por informar e mobilizar os portugueses para a causa dos oceanos.

A resposta positiva a esta primeira campanha foi imediata e superou as expectativas da organização. Face aos inúmeros pedidos para fazer voluntariado no terreno, a Greenpeace criou dois grupos de voluntários, primeiro em Lisboa e mais tarde no Porto. A estas vozes uniram-se as de milhares de consumidores portugueses a  reclamar medidas que protejam efectivamente de um dos recursos mais preciosos e indispensáveis do planeta: o peixe.

Perante o movimento gerado, o país apresenta hoje uma lógica de negócio e bancas de peixe substancialmente alteradas. Depois de três anos a fomentar o debate sobre a crise actual dos oceanos e divulgar alternativas mais sustentáveis aos produtos comercializados pelas grandes indústrias, quatro das seis maiores cadeias de supermercados a operar em Portugal assumiram já o compromisso de fazer desaparecer das suas prateleiras os produtos mais insustentáveis e apoiar as práticas de pesca mais sustentáveis.

Para mais informações sobre os progressos obtidos em três anos de campanha consulta a página de conclusão da campanha.

Com o movimento pela sustentabilidade do sector do peixe agora imparável, a Greenpeace encerra a frente activa da campanha dos oceanos em Portugal, com a Greenpeace Internacional a continuar a monitorização dos efeitos da campanha no país.

Outubro de 2009 - Roadtour Oceanos em Perigo Este boneco simpático capta o interesse e a simpatia de crianças e adultos.

Que projectos para o futuro?


Embora ainda não exista um escritório da Greenpeace em Portugal, perante a impressionante adesão dos portugueses às causas ambientais, a Greenpeace Internacional continua a analisar formas de alargar a sua capacidade de actuação em Portugal a outras campanhas que decorrem a nível global.

A Greenpeace é uma organização com uma missão global, que conta com milhões de ciberactivistas prontos a entrar em acção e pressionar governos e empresas a adoptar quadros legais e códigos de conduta que respeitem a biodiversidade e garantam um planeta saudável para o futuro de todos.

Enquanto ciberactivista a tua participação nesta missão é significativa e fundamental! Num mundo globalizado, é fundamental ter uma voz global em defesa do nosso planeta. Tal como a crise ambiental que enfrentamos hoje, a Greenpeace não olha a fronteiras e extende a sua voz ao mundo inteiro Junta a tua voz ao movimento global que exige soluções adequadas para os principais problemas que o nosso planeta enfrenta. Informa-te, subscrevendo as nossas newsletters.

Internacional

Brasil

Espanha

França