Arctic Sunrise viu Lisboa a acordar

Artigo - 21. Agosto, 2008
O que salta à mente quando pensas na Greenpeace? Não duvido que a maioria das pessoas, quando indagadas, pense nos nossos navios, imponentes, coloridos e alegres.

Arctic Sunrise

Esta manhã, o navio da Greenpeace chegou cedinho ao largo de Lisboa e viu a cidade acordar. Desfilando pelo Tejo, chegou às docas de Alcântara-mar, onde vai ficar aberto ao público durante os próximos dias.

Os navios da Greenpeace levam as campanhas e os ideiais da Greenpeace para qualquer parte do mundo, já que não há lugar por onde os navios da Greenpeace não naveguem. Já viajaram em defesa do meio ambiente para a Antárctica, para a Groenlândia e para o Alasca, para o Mediterrâneo e para a Amazônia. Com eles concretizamos os nossos sonhos em busca da "paz verde"

É por esses e tantos outros motivos que a chegada de um navio da Greenpeace, o Arctic Sunrise, marca um momento especial para a campanha do peixe sustentável em Portugal. Os portugueses poderão ver (e sentir) de perto como são feitas as campanhas em alto mar e conhecer as histórias de sucesso e ameaças que os activistas já enfrentaram a bordo do Arctic. Aliás, para que entendas melhor o navio antes de visitá-lo, aqui vai um pouco da sua história.

O Arctic é um quebra-gelo de casco arredondado, o que permite que ele navegue em zonas geladas sem ficar encalhado. O mais interessante é que antes de ser adquirido pela Greenpeace, em 1995, seus antigos proprietários noruegueses utilizavam-no para caçar focas. Contudo, depois de ser comprado pela Greenpeace, o Arctic já vivenciou imensas aventuras e muitas victórias verdes.

O navio já fez, por exemplo, diversas viagens ao Mar de Beaufort, no Oceano Árctico, para confrontar os testes para a criação de novas reservas de petróleo, e documentou as alterações climáticas nas regiões mais setentrionais do planeta. Em finais do ano passado, o Arctic foi deliberadamente atacado e danificado pelo Nisshin Maru, o navio-fábrica da frota baleeira japonesa, no confronto pelo fim da caça às baleias.

Agora, na sua expedição para águas portuguesas, integra o projecto da Greenpeace de promover a criação de uma rede de reservas marinhas no mar. As reservas marinhas - parques naturais no mar - são áreas onde nenhuma actividade extractiva é permitida, proporcionando um santuário para a vida marinha.

Oxalá quando zarpar, o Arctic deixe a sua marca na tua memória.

Tópicos
Etiquetas