Envie uma carta para a Embaixada Russa para libertar nossos activistas

.

 

 

Nota: os campos obrigatórios estão assinalados com um asterisco (*).

Por favor, corrige os campos marcados abaixo.

 
info

Teu nome completo

info

Email

info

Seleciona um país

info

Telemóvel

É fácil cancelar a inscrição, basta clicar no link da newsletter

Os teus dados estão seguros. A Greenpeace nunca irá ceder, vender ou trocar os memos. Lê a nossa Política de Privacidade.

Ao enviar este email você também fará parte do movimento para a criação de um santuário global no Ártico e banir a exploração de petróleo da região. Clique aqui para mais informações. Você receberá em breve mais informações sobre a campanha e você poderá descadastrar seus dados de nossa lista a qualquer momento, clicando no link localizado no rodapé de nossos e-mails.

Libertem Nossos Ativistas

Na manhã do dia 18 de setembro, dois activistas da Greenpeace foram presos enquanto protestavam contra a exploração de petróleo no Ártico, na plataforma Prirazlomnaya, da Gazprom, no Mar Pechora, na costa russa. Eles ficaram detidos a bordo de um navio da Guarda Costeira Russa, sem acusação ou representação legal.

No dia seguinte, com armas em punho, a Guarda Costeira Russa entrou ilegalmente no navio de campanhas da Greenpeace, Arctic Sunrise, enquanto ele ainda navegava em águas internacionais, e prenderam 30 activistas que estavam à bordo. Entre os tripulantes está a brasileira Ana Paula Alminhama Maciel, de 31 anos, que está conosco no Greenpeace desde 2006. Por isso, estamos solicitando a urgente libertação de todos os activistas, a imediata retirada da Guarda Costeira navio e o fim da exploração de petróleo offshore no Ártico, permanentemente.

Você também pode ligar para a Embaixada em Lisboa para pedir a libertação dos activistas da Greenpeace.

Embaixada da Federação da Rússia em Lisboa:  Tel.: +351 21 846 24 23, +351 21 846 24 24


A brasileira Ana Paula Maciel é mantida refém após protesto pacífico. (Foto: © Greenpeace/Nick Cobbing)