Na ExpoZebú, em Uberaba, Dilma Roussef foi perguntada sobre o que achava da Reserva Legal. Sua resposta está no vídeo abaixo:

Dilma foi confusa e prolixa. Mas em bom português, disse que a reserva legal é ruim para e economia – atrapalha a agricultura, por parcelar as áreas produtivas – e ruim para o ambiente – que fica com parcelas pequenas de matas preservadas.

A coisa não é tão simples assim. A Reserva Legal não impede a produção. Existe para garantir a biodiversidade, o que não é ruim para a agricultura. E se o seu tamanho é pequeno, depende do tamanho da propriedade. O parcelamento ocorre em regiões de muitas propriedades pequenas.

Ao generalizar o problema como sendo de todos os tipos de propriedade, e ao apresentar a reserva como sendo bom para "ambientalistas", e não para o Brasil e para o ambiente, não há dúvida de que, nas entre-linhas, a candidata de Lula não gosta da Reserva Legal do modo como ela está definida no Código Florestal. O que não é de se espantar. Dilma, a mãe de Belo Monte, sempre foi da linha desenvolvimentista que tanto sucesso fez no governo militar e tanto sucesso faz no governo Lula.