Uma proposta ruim, em uma hora errada

Entre o mar de siglas que circulam pelos corredores da COP16, uma ganhou destaque nos últimos dias. Seqüestro e Captura de Carbono, mais conhecido como Carbon Capture and Storage (CCS, do inglês) é o vilão da vez em Cancún. Leia mais

Mais sobre a COP:

Algumas perguntas e respostas:  
  • O que são mudanças climáticas? Quais são suas principais causas?

    Mudanças climáticas são a consequência do aquecimento global, ou seja, do aumento da temperatura média da terra e dos mares, causado por altas concentrações de gases do efeito estufa na atmosfera da Terra. O principal gás estufa é o dióxido de carbono (CO2), emitido em altas quantidades graças a atividades humanas como a queima de combustíveis fósseis, principalmente carvão e petróleo, para gerar energia, e ao desmatamento e às queimadas.

  • Quais são as consequências do aquecimento da Terra ?

    O aumento na frequência e intensidade de eventos meteorológicos extremos, como tempestades, furacões, enchentes, grandes secas e ondas de calor, estão entre as consequências mais visíveis, que causam mortes, afetam a biodiversidade e a produção agrícola, afetando a produção de alimentos. Há ainda consequências menos óbvias. Diferenças de temperatura entre as águas, por conta do aquecimento dos mares, por exemplo, podem ocasionar invernos mais rigorosos em países do Hemisfério Norte, a despeito do aumento de temperatura global As costas também estão expostas aos riscos, devido ao aumento do nível do mar, drama que já é realidade para algumas nações insulares do Pacífico e que ameaça cidades litorâneas. O excesso de gás carbônico nos mares torna ainda as águas mais ácidas, matando recifes de coral, essenciais para a biodiversidade marinha, e comprometendo a capacidade dos oceanos de absorverem CO2 da atmosfera.

  • Podemos reverter o aquecimento global?

    Sim, mas é preciso começar agora. A única forma é reduzir a emissão dos gases de efeito estufa até níveis toleráveis, mudando a forma de gerar energia e investindo em uma política energética inteligente, com incentivo a fontes renováveis como eólica, solar e biomassa. É preciso também zerar o desmatamento em todo mundo. As florestas funcionam como um estoque de carbono e uma “esponja” de CO2. A partir do momento que são derrubadas e queimadas, esse carbono vai para a atmosfera e perde-se a função.

  • O que podemos esperar da 16ª Conferência de Clima da ONU (COP16)?

    O Greenpeace defende que os países assumam metas ambiciosas de redução de emissões de gases-estufa, reconhecendo que um aquecimento em 2ºC é perigoso para a vida na Terra. Para que isso ocorra, o pico de emissões globais deve ser alcançado até 2015, começando a decair logo em seguida. Porém, esse acordo não deve ser obtido na COP16, pois os países ainda cometem o erro de defender mais seus interesses domésticos, do que uma agenda ambiental global. Nesta conferência, que acontece em Cancun, os países precisam detalhar suas posições e avançar em questões importantes como um novo fundo de adaptação para os países em desenvolvimento se prepararem para as mudanças climáticas; mecanismos de proteção de florestas nativas e como será a estrutura para que todos os países – ricos e emergentes, em especial – tenham metas claras e data para reduzir suas emissões.