Desmatamento leva Pânico ao Mato Grosso

Notícia - 15 - jun - 2005
Humoristas do programa Pânico na TV tentam entregar o prêmio Motosserra de Ouro ao governador Blairo Maggi

» Assista ao vídeo da entrega do prêmio

Humoristas do programa Pânico na TV, que vai ao ar aos domingos na Rede TV!, tentaram entregar ontem (15/06) o prêmio Motosserra de Ouro ao governador do Mato Grosso, Blairo Maggi (1). Com 37,21% da preferência popular, Maggi foi o grande vencedor da campanha virtual lançada pelo Greenpeace para premiar a personalidade brasileira que mais contribuiu para a destruição da Amazônia. A votação pela internet foi encerrada ontem, com um total de 27.849 votos. O governador do Mato Grosso recebeu 10.348 votos, seguido do presidente Lula, com 7.314 votos (26,30%).

» Veja o resultado completo da votação.

A trupe do programa - formada pelo Repórter Vesgo (Rodrigo Scarpa), Sílvio Santos (Wellington Munis) e pela Mulher-Samambaia (Daniele Souza) - entrou na escola Diva Hugueney, no bairro Jardim Aroeiras, em Cuiabá, onde o governador participava de um evento de entrega de kits esportivos para escolas estaduais. Os humoristas conseguiram se aproximar de Blairo Maggi para a entrega do troféu, mas foram impedidos por guarda-costas e não puderam permanecer dentro da escola durante a solenidade. Ao ver o troféu nas mãos da Mulher-Samambaia, o governador entrou em pânico e se negou a receber o prêmio. Foi quando os seguranças agiram, chegando, inclusive, a rasgar a roupa do Repórter vesgo.

Com a recusa do governador em aceitar o prêmio, os artistas do Pânico armaram uma grande confusão em frente à escola. Mais de mil pessoas, incluindo centenas de crianças, se juntaram a eles pedindo a presença de Maggi para receber o troféu. Entoando palavras de ordem, como "Recebe! Recebe!" e "Preserve a natureza!", eles aguardaram o fim da solenidade para falar com o governador. Mas Maggi preferiu fugir pela porta dos fundos da escola.

"Maggi fez por merecer. Com dois anos de governo, sua principal façanha foi transformar o estado do Mato Grosso em campeão do desmatamento, responsável por 48% do total desmatado em toda a Amazônia Legal", disse Paulo Adário, coordenador da campanha da Amazônia do Greenpeace, que acompanhou a turma do Pânico em Cuiabá. "Dos 12.576 km² desmatados no estado, 8.400 km² foram feitos de forma ilegal e é responsabilidade do governo do Estado fazer valer a lei".

Entre 2003 e 2004, o desmatamento na região foi o segundo maior da história, chegando a 26.130 km² - uma área equivalente a mais de 8,6 mil campos de futebol destruídos por dia. O presidente Lula, os ministros José Dirceu, Antonio Palocci e Roberto Rodrigues, e o governador do Pará Simão Jatene também concorreram ao prêmio.

"Ficamos extremamente felizes com a participação do Pânico em nossa campanha", disse Adário. "É uma forma irreverente de levar a discussão de um assunto tão importante como a proteção da Amazônia para o dia-a-dia das pessoas. A Amazônia tem pressa. Se nada for feito, corremos o risco de lamentar, a cada ano, o desaparecimento da maior floresta tropical do planeta".

O secretário de Comunicação do estado, José Carlos Dias, ligou hoje para marcar uma reunião com o Greenpeace a fim de discutir a política ambiental do governo do Mato Grosso.

Leia também:

» Motosserra de Ouro: um prêmio ao exterminador da Amazônia

» Maggi, o Barão da Soja, é também o rei do desmatamento

Notas

(1) Blairo Maggi, governador do Mato Grosso, é também o maior produtor individual de soja do mundo. Em setembro de 2003, foi citado no jornal New York Times, como autor da frase: "Para mim, um aumento de 40% no desmatamento não significa nada; não sinto a menor culpa pelo que estamos fazendo aqui. Estamos falando de uma área maior que a Europa toda e que foi muito pouco explorada. Não há razão para se preocupar".  



Tópicos