Os projetos, batizados de KeyStone XL, Trans Mountain e Bayou Brigde, ameaçam terras indígenas e a qualidade da água por onde passam, mas também o clima em todo o planeta, o que afeta inclusive quem está bem distante do problema, como nós, aqui no Brasil.

As petrolíferas querem que você acredite que esses dutos cheios de óleo são seguros e vantajosos, e usam seu poder para intimidar quem ouse dizer o contrário. Nós do Greenpeace e outros parceiros já fomos processados, mas não vamos nos calar diante dos riscos desses empreendimentos para o meio ambiente e para as pessoas. Confira a seguir 6 razões pelas quais esses oleodutos são uma furada:

1 – São péssimos para o meio ambiente

Já está bem documentado que oleodutos vazam regularmente. Nesta última década, 34 MILHÕES de galões de líquidos perigosos vazaram de oleodutos apenas nos EUA. Estes novos oleodutos propostos para a América do Norte apresentam um alto risco de contaminar o solo e afetar o abastecimento de água que comunidades dependem. Isso, sem contar que explorar mais combustíveis fósseis como o petróleo é péssimo para todos os seres humanos do planeta devido às mudanças climáticas, que já mostram sua cara na forma de secas e tempestades mais severas.

2 – São uma ameaça aos povos indígenas

Os oleodutos violam a soberania e os direitos indígenas, pois atravessarão territórios de povos sem o seu consentimento. São comunidades indígenas de enorme importância cultural que, ameaçadas pela contaminação, poderão ficar sem água. É por isso que elas estão na linha de frente para impedir a construção dos oleodutos. Nós apoiamos essa resistência das pessoas aos projetos de infraestrutura para petróleo.

Protesto no Standing Rock Dakota Access Pipeline nos EUA

3 – São bons para altos executivos, mas ruim para você

Ao contrário do que as petrolíferas querem que você acredite, esses oleodutos não contribuirão para maior estabilidade de emprego a longo prazo. Uma vez que a construção termine, a maior parte dos postos de trabalho desaparecerá. Por outro lado, a indústria de energias renováveis é realidade, provando com seus números o aumento na geração de milhares de novos empregos nos setores de solar e eólica, a cada ano.

4 – O dinheiro não pode falar mais alto

Bancos são fundamentais para que esses projetos saiam do papel, pois são eles que viabilizam, por meio de empréstimos, o dinheiro que será usado na construção. É por isso que estamos pressionando, em nível internacional, bancos que já fizeram empréstimos para a Energy Transfer Partners (ETP) ou companhias relacionadas. Queremos que eles reavaliem suas posições e parem de financiar esses projetos que afetam tanto a saúde e a segurança das pessoas.

5 – São uma ameaça global

Seja na América do Norte, com os oleodutos da norte-americana ETP ameaçando os povos indígenas, seja na América do Sul, com os planos da francesa Total de perfurar na região dos Corais da Amazônia, os combustíveis fósseis como o petróleo, o carvão e gás natural fazem vítimas diretas pelo risco de explosões, vazamentos e contaminação, e indiretas, pelos efeitos das mudanças do clima. As regiões polares vivenciam a retração do gelo, que coloca em risco tanto os animais do Norte quanto do Sul, além das pessoas que vivem em regiões costeiras e serão afetadas pela elevação do nível do mar. Enquanto isso, secas e tempestades mais severas, e migrações em massas de pessoas que não conseguem mais sobreviver em seus locais de origem, já causam grandes prejuízos econômicos e conflitos sociais. Precisamos impedir a exploração de petróleo. Precisamos parar essa ameaça global.

6 – Eles querem nos calar

A ETP quer muito nos silenciar. É exatamente por isso que precisamos falar cada vez mais alto a nossa oposição aos projetos devastadores desta empresa. Eles estão assustados com o poder que as pessoas têm quando se unem. Assustados de como estamos conseguindo revelar à opinião pública e aos tomadores de decisão a verdade sobre seus planos sujos e gananciosos. Mas as intimidações da ETP não vão nos parar!

Esta batalha é maior que só um oleoduto ou empresa. É sobre os direitos dos povos indígenas, sobre os direitos humanos, sobre proteger a água limpa, é sobre justiça.

Não podemos mais aceitar a exploração de petróleo. Sua produção, distribuição e uso causam danos ao meio ambiente e insegurança às pessoas. Você pode ser parte desta causa e nos ajudar nesta pressão. Clique aqui e assine a petição (em inglês) contra a construção dos oleodutos no Canadá e Estados Unidos.

Diga NÃO ao petróleo e SIM às energia renováveis!

*Texto atualizado às 17h do dia 5 de julho de 2018.