Asas da Emergência - Confira as ações de apoio às comunidades indígenas da Amazônia no enfrentamento à Covid-19


O ano de 2021 começou com um desafio que nos chamou novamente à ação. Desde o ano passado, a pandemia segue colocando vidas em risco e exigindo responsabilidade e solidariedade com quem mais necessita. Esse novo chamado de alerta começou em janeiro com a maior cidade da região Norte do Brasil, Manaus, sufocando com falta de oxigênio!

O Brasil inteiro está vivendo o agravamento da pandemia, levando cidades e regiões a um colapso da saúde pública, com falta de leitos em seus hospitais, escassez de equipamentos básicos de saúde e falta de oxigênio aos pacientes. Devido à carência de infraestrutura de saúde, logística de transporte e vontade política, a situação tem sido bastante crítica na região Norte, especialmente nas áreas remotas onde residem populações indígenas, extremamente vulneráveis à Covid-19.

Frente a esse quadro, desde meados de janeiro o Greenpeace Brasil novamente vem somando solidariedade e esforços no enfrentamento à pandemia por meio do Projeto Asas da Emergência que, em 2020 transportou  mais de 63 toneladas de equipamentos e insumos de saúde para populações indígenas da região Norte – confira o que foi feito.



Diante da permanência da Covid-19 no país e do agravamento da situação em diversas regiões da Amazônia, mais uma vez nos colocamos em ação na defesa da vida. A estrutura da nossa organização continua apoiando os povos indígenas e populações vulneráveis no enfrentamento da pandemia na Amazônia.


Em 2021, como parte de uma rede de solidariedade, cerca de 44 toneladas de equipamentos e insumos de saúde já foram enviados a diversas comunidades espalhadas pela Amazônia, incluindo itens como concentradores e cilindros de oxigênio, entre outros materiais de extrema importância para salvar vidas!

 

Confira abaixo como ajudar esse projeto e as ações que temos realizado:


Desde meados de janeiro, o Greenpeace levou diversos materiais para auxiliar populações indígenas no enfrentamento à pandemia. Apoiamos na distribuição de concentradores e cilindros de oxigênio, materiais de higiene, cestas básicas e seringas à serem utilizadas na vacinação da região do Alto Rio Negro, distante 990 km de Manaus, onde vivem 23 povos indígenas e cerca de 750 comunidades. Além de apoiar na distribuição de materiais em cidades do Amazonas, também chegamos a regiões do Acre, Pará, Rondônia e Roraima, onde ajuda emergencial é necessária. Em Manaus, também realizamos entregas para a Casa de Saúde Indígena (Casai) e ao Parque das Tribos, bairro que abriga 35 etnias indígenas.

Todas essas ações só são possíveis graças a uma rede de organizações que têm se mobilizado para agir rapidamente frente à situação dramática que o país está enfrentando durante a pandemia. Entre os parceiros com os quais o Greenpeace está atuando para levar ajuda emergencial estão a Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), Amazon Watch e os Expedicionários da Saúde (EDS).


Ações específicas estão sendo realizadas também com o Projeto Entrega, SOS AM, Instituto Socioambiental (ISA), Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam), Aliança Covid-Amazonas, que reúne uma série de instituições e é liderada pela Fundação Amazônia Sustentável (FAS), Respira Amazonas e União Amazônia Viva.

Para proteger ao máximo e reduzir riscos a todos os envolvidos no processo das entregas, nossa atuação tem seguido os mais rigorosos protocolos de segurança sanitária, que passam por diferentes etapas, como a descontaminação do avião e dos materiais que serão transportados e a utilização de equipamentos de proteção individual, entre outras medidas.

Seguimos agindo com a nossa missão de defender o meio ambiente e a vida!