Por que lutar por justiça climática

Receba em casa um material inédito para entender sobre crise climática, eventos extremos e justiça climática. Nesta primeira fase, temos 8 mil exemplares. Você não vai ficar fora dessa, né?

Assine e garanta o seu!

pessoas já pediram e ainda temos unidades.

O que você vai receber em casa?

Você vai receber em casa um material com mapas e ilustrações de alguns dos maiores eventos climáticos extremos que aconteceram no Brasil até 2024, além de dados e informações que vão te ajudar a entender a crise climática, as principais consequências dela e porque precisamos agir por justiça climática.

Para quem é este material?

Para todas as pessoas que querem entender melhor a crise do clima, uma realidade que impacta o nosso cotidiano e precisa ser enfrentada.

O mapa pode ser usado por ativistas, professores, estudantes, quem vai prestar vestibular, Enem ou concurso público, e todas as pessoas que querem se mobilizar por cidades mais resilientes, seguras, justas e sem desigualdades.

Para cobrar e transformar, você precisa conhecer

O lugar onde você mora está entre os que sofreram os eventos climáticos mais intensos dos últimos anos, como fortes chuvas, secas, ondas de calor e de frio? Quais são as principais consequências dos eventos extremos e o que precisa ser feito? Como agir? Quem são as pessoas mais impactadas e porque?

Com esse material, você vai descobrir tudo isso e também passar a fazer parte de um grupo de pessoas interessadas em agir e mudar a realidade como a conhecemos hoje.

Justiça climática já!

Só as emissões de carbono das poucas pessoas mais ricas do planeta serão suficientes para causar 1,3 milhão de mortes relacionadas ao calor, entre 2020 e 2100.

Pra você ter uma ideia: levaria cerca de 1.500 anos para uma pessoa comum produzir tantas emissões de carbono quanto os bilionários produzem em um ano*.

Ou seja, quem menos contribui para as alterações do clima é quem sofre os maiores impactos. Algo de errado não está certo nessa conta! Para solucionar a crise climática é preciso combater os impactos desiguais.

*Fonte: Relatório “Igualdade Climática: Um Planeta para os 99%”, lançado em novembro de 2023 pela Oxfam.

Precisamos de cidades preparadas

As cidades e todos os territórios precisam ser adaptados, ou seja, preparados para a realidade climática, para que ninguém mais sofra perdas materiais e tenha sua vida  em risco em consequência da falta de políticas públicas que se antecipem às tragédias climáticas. 

Para isso é preciso colocar as pessoas mais vulnerabilizadas no centro dos espaços oficiais de discussão e tomada de decisão. 

Receba este material em casa e junte-se a nós para que todos os territórios, do estado ao bairro, garantam resiliência e segurança climática.

Foto tirada de cima com cerca de 100 pessoas de diferentes etnias segurando um banner redondo escrito no centro "Cidade dos sonhos é a cidade das pessoas".

Explore outros tópicos