As focas, baleias e pinguins precisam da sua ajuda para preservar o Continente de Gelo

Neste 4 de outubro, Dia Mundial dos Animais, queremos chamar atenção para a proteção de espécies que vivem bem looonge da gente, mas que estão correndo sérios riscos. Estamos falando de pinguins (como não amá-los?), baleias (afinal somos eternos defensores delas) e focas (que seres engraçados).

Todos esses animais incríveis habitam a Antártida, o famoso Continente de Gelo no pólo sul do planeta. Mas o ser vivo mais presente nessa extremidade da Terra é o krill. O quê? Você não conhece o krill? A sua existência é de extrema importância para a sobrevivência de todos os outros animais antárticos.

O krill é um pequeno crustáceo, parecido com um camarão, e representa a base da cadeia alimentar na região. Ou seja, esse ser minúsculo é fundamental para a alimentação de pinguins, baleias, focas e outros animais.

Quem diria que a falta deste pequeno crustáceo poderia causar tanto estrago na Antártida © Robin Culley / Greenpeace

E onde está o perigo nessa história?

Como sempre, na ganância do ser humano. A pesca industrial de krill tem causado sérios desequilíbrios para o ecossistema antártico. Se a caça indiscriminada continuar no ritmo que temos observado, em breve toda a cadeia alimentar estará desajustada, o que pode levar até a extinção de espécies inteiras.

Para piorar, o ser humano vem contaminando os oceanos do planeta com uma quantidade enorme de plástico. As partículas desses resíduos, os microplásticos, chegam à regiões distantes, como a Antártida, e confundem as focas, os pinguins e as baleias, que acabam se alimentando com esses produtos.

Que preguiça de ver que você ainda não ajudou a salvar a Antártida © Paul Hilton / Greenpeace

Por isso, estamos propondo algo inédito: a criação a maior área protegida da Terra, um enorme santuário marítimo no Oceano Antártico, cinco vezes o tamanho da Alemanha. A criação dessa reserva será um refúgio para a restauração da biodiversidade local e vai impedir os impactos negativos da ação humana na região, como a pesca industrial, a exploração de petróleo e a caça de baleias.

A Antártida é uma região administrada de forma compartilhada por diversos países. Os governos responsáveis pelo Continente de Gelo vão se reunir neste mês de outubro para a Comissão do Oceano Antártico e uma das propostas que serão discutidas é a criação dessa reserva marítima.

Sabemos que as empresas vão defender seus interesses comerciais acima da sobrevivência dos animais antárticos. Por isso, para que a medida seja aprovada, precisamos construir um movimento global e pressionar os governos responsáveis pela Antártida para a aprovação do Santuário Marinho.

Essa é a nossa melhor chance para preservar pinguins tão fofos como esse:

Aqui só esperando você garantir a preservação do continente de gelo © Roie Galitz / Greenpeace

Saiba mais sobre a criação do santuário na Antártida, conheça mais sobre o Continente de Gelo e junte-se ao movimento pela preservação dos animais antárticos!

Vamos acordar para criar um santuário marítimo na Antártida! © Paul Hilton / Greenpeace