O Greenpeace repudia de forma veemente os constantes e absurdos ataques feitos aos movimentos da sociedade civil nos últimos tempos. Tal cenário, instalado no país desde o início de 2019, teve seu registro mais lamentável na ação da Polícia Civil do estado do Pará em Alter do Chão nesta semana (26/11), resultando na prisão descabida de quatro brigadistas voluntários e numa ação midiática e infundada contra o Projeto Saúde e Alegria.

As ações do Projeto Saúde e Alegria junto a comunidades tradicionais da Amazônia são amplamente reconhecidas como uma oportunidade não só de proteção da floresta, mas também de construção de uma sociedade mais digna, justa, diversa e  livre.

Em todo o mundo, as organizações não-governamentais lutam em defesa das liberdades democráticas e do direito à livre atuação da cidadania. A criminalização de movimentos, lideranças e ativistas busca deslegitimar e eliminar a atuação de uma poderosa força da sociedade, capaz de questionar, pressionar e denunciar condutas que atuam contra o interesse público.

O Governo do Estado do Pará, na pessoa do Sr Governador Helder Barbalho,  precisa vir imediatamente a público para esclarecer os fatos e restabelecer a verdade sobre as alegações acerca deste caso, que já ganhou repercussão internacional e contribui para escancarar ainda mais o rebaixamento da imagem internacional à que o Brasil se submeteu neste último período.

Todo este cenário de indignação ocorre ainda sob o inaceitável espírito de relativização da democracia que ronda o país. De forma inadmissível, figuras públicas do mais alto escalão da República flertam com o autoritarismo e tentam normalizar instrumentos que atentam contra a democracia. Por mais de 20 anos, brasileiros e brasileiras viveram sob a sombra da ditadura, um regime repressor que ceifou direitos democráticos fundamentais e a vida de muitos inocentes.

Em um Estado Democrático de Direito como o Brasil, cabe ao governo promover, garantir e zelar pelos direitos fundamentais e pela segurança de todos os seus cidadãos. É neste espírito que exigimos a transparência das investigações e o estabelecimento da verdade aos fatos recentes ocorridos em Alter do Chão, Estado do Pará e reforçamos nosso apoio e solidariedade ao Projeto Saúde e Alegria.