O estudo [R]evolução Energética 2016 prova como Brasil poderá abandonar aos poucos as fontes fósseis de energia e chegar à metade deste século com 100% de sua matriz energética verdadeiramente limpa e renovável.

As vantagens passam por zerar as emissões de gases de efeito estufa no setor energético, pela conservação dos recursos naturais, por contas de luz mais baratas para a população, mais segurança para o fornecimento de eletricidade e menos riscos de “apagões”.

O [R]evolução Energética é o primeiro estudo que mostra uma projeção de como será o Brasil em dois cenários: nosso futuro caso sejam mantidas as políticas e tendências atuais até 2050; ou o Brasil que teremos se o governo priorizar as políticas públicas corretas para as fontes limpas, renováveis e seguras de energia.

“Uma transição energética em direção às renováveis é urgente se quisermos de fato combater as mudanças climáticas e ter um país com melhor acesso à energia”, diz Larissa Rodrigues, do Greenpeace na área de Energia. “Nos últimos anos, o setor de energia aumentou suas emissões de gases de efeito estufa por conta do uso de combustíveis fósseis. Além de ser muito ruim em termos de emissões, isso aumentou muito a conta de luz dos brasileiros. Isso precisa mudar – ainda mais em um país que tem todas as condições para isso”, completa.