O fundo dos oceanos guarda formas únicas de vida sobre as quais ainda sabemos muito pouco – mistérios que antes de serem revelados, já estão ameaçados

Aerial of Open Pit Mining Garzweiler II near Hambach Forest. © Greenpeace

Mineração de carvão perto da Floresta Hambach. Imagine uma máquina como esta cavando o fundo do mar © Greenpeace

Empresas e governos planejam enviar máquinas monstruosas para regiões de águas profundas, impactando ambientes de vida sensíveis e únicos, com o objetivo de explorar metais e minérios. Embora isso ainda não esteja acontecendo, já foram liberadas licenças de exploração para mais de um milhão de quilômetros quadrados dos nossos oceanos.

Quer saber por que esse modo de exploração pode ser tão ameaçador para a vida no planeta? A seguir, apontamos 5 motivos:

1) Barulho, poeira e luz em excesso na vida dos animais marinhos

Os cientistas alertam que saquear o fundo do mar com essas máquinas monstruosas utilizadas para explorar minério pode causar danos ambientais severos e irreversíveis tanto aos oceanos como para grande parte da vida marinha.

Algumas formas de vida encontradas em águas profundas, como espécies de tubarões que podem viver centenas de anos, estão entre as mais antigas da Terra e são particularmente vulneráveis a perturbações físicas devido às baixas taxas de crescimento. Por isso a mineração, com suas máquinas monstruosas e processos de exploração perturbadores, coloca em risco a continuação dessas espécies. Pesquisadores estimam que os danos à vida selvagem “provavelmente durarão para sempre em escalas de tempo humanas”.

As regiões de mar profundo, caso da Cidade Perdida, ainda são um mistério para os cientistas. Por isso, alguns artistas usam imaginação e talento para ilustrar como ela pode ser. @essy_may / Greenpeace

Como se a destruição total desse habitat não fosse ruim o suficiente, as máquinas que perfuram o fundo do oceano levantam sedimentos que podem impactar a vida por quilômetros, sufocando outros ambientes ultra profundos. Além disso, os navios mantidos na superfície para executar a operação da mineração também representam um grande risco, pois podem liberar vapores tóxicos na água que prejudicariam diversas espécies oceânicas por centenas ou mesmo milhares de quilômetros.

E as ameaças de destruição não param por aí. O ruído gerado pelas máquinas perturbará animais marinhos como as baleias, e as áreas iluminadas por holofotes podem causar perturbações irreversíveis para criaturas do mar adaptadas a níveis muito baixos de luz natural.

2) Extinção de espécies que não existem em nenhum outro lugar do planeta

As criaturas que vivem em águas profundas dos oceanos são especialmente adaptadas para este ambiente e possuem características muito particulares. Em uma das áreas que está na mira da indústria da mineração, 85% das espécies vivem ao redor de fontes hidrotermais que, até então, não foram encontradas em nenhum outro lugar dos oceanos.

3) Destruição de um dos nossos maiores aliados na luta contra as mudanças climáticas

Os oceanos têm uma importância fundamental para combater as mudanças climáticas porque absorvem metade de toda a poluição por carbono que nós humanos produzimos. Esse carbono, naturalmente absorvido pela vida marinha, permanece armazenado em sedimentos do fundo do mar por milhares de anos, ajudando a Terra a ficar menos quente.

O processo de exploração de minérios em águas profundas impactaria justamente onde está armazenado este carbono, liberando-o para a atmosfera e intensificando as mudanças climáticas.

Se sabemos que estamos vivendo uma Emergência Climática, então por que estamos tornando tudo ainda pior para nós mesmos?

4) Impactos devastadores na cadeia alimentar dos oceanos

A perturbação generalizada da vida marinha impacta toda a cadeia alimentar nos oceanos. Um estudo do Greenpeace revelou que as empresas que querem explorar minério em águas profundas estão cientes de toda a destruição que podem causar.

Um documento divulgado em uma reunião entre interessados nesse tipo de negócio reconhece “a possível extinção de espécies únicas que são a base da cadeia alimentar”.

5) Nós realmente queremos destruir as maravilhas que podem nos dar mais explicações sobre o início da vida na Terra?

Até agora, exploramos apenas 0,0001% de tudo que pode existir no mar profundo. Diante desse cenário, é correto deixarmos a indústria da mineração colocar em risco a continuação da existência de todo um ecossistema ainda repleto de mistérios?

Existe um outro caminho possível? A resposta é sim. As empresas que querem explorar minérios nos oceanos para a fabricação de aparelhos de celular deveriam estar investindo em reciclagem e em novas tecnologias que não ameaçam a vida marinha em detrimento do lucro. Veja o vídeo.

Estes são alguns dos motivos que deixam claro que a mineração em águas profundas é um péssimo caminho para os nossos oceanos e para o equilíbrio da vida no planeta. Apesar das empresas de mineração conhecerem os riscos de suas ações, elas tentam convencer políticos de que oferecem uma “solução verde” para exploração em alto-mar. Mas isto é uma grande mentira.

Não vamos repetir os erros do passado e deixar que essa indústria tão predatória controle as águas profundas dos oceanos. Precisamos agir agora para ajudar a recuperar a saúde dos mares já tão impactados.

Vamos construir juntos um movimento global pela saúde dos oceanos e do planeta, barrando as mudanças climáticas. Até agora, 900 mil pessoas assinaram a nossa petição, convidando os governos a assinarem um Tratado Global para os Oceanos para fortalecer a proteção das águas do alto-mar. Junte-se a nós e faça parte deste movimento. Assine a petição.