Hoje é Dia Mundial dos Oceanos, um dia para lembrarmos a importância deles para a vida no Planeta. Os mares estocam carbono e evitam um maior acúmulo de gás carbônico na nossa atmosfera. Mas para que eles façam isso por nós, precisamos protegê-los

Samadai Reef - Red Sea Coastal Development in Egypt - 2006. © Greenpeace / Marco Care

Recife de corais em Tondoba, na costa do Egito. Essa região está ameaçado pela pesca predatória e pela poluição. © Greenpeace / Marco Care

Nos últimos dois séculos, os oceanos absorveram metade de toda a poluição por carbono que nós humanos produzimos. Estamos destruindo os oceanos ao invés de deixá-los saudáveis para os nossos netos. Um argumento ainda mais importante para nos motivar a fazer isso é: oceanos prósperos também nos protegem das mudanças climáticas.

Parte do carbono que existe na Terra está naturalmente no corpo e composição de plantas e animais marinhos vivos. Quando os animais e plantas morrem, o carbono é enterrado no fundo do mar, ou seja, não vai para a atmosfera, evitando mudanças climáticas ainda mais intensas. O mesmo vale para mangues, que também são ecossistemas que armazenam enormes quantidades de carbono.

Mas a vida não está nada fácil para quem vive no fundo do mar. Os oceanos estão ficando mais quentes devido ao aquecimento global. E mais ácidos à medida que a quantidade de gás carbônico na atmosfera aumenta e, consequentemente, a sua concentração na água também. Há também o excesso de plástico que invade os mares, fruto do nosso consumo desenfreado.

Como uma pessoa que pega resfriado, sarampo e catapora de uma vez só, esses problemas deixam os oceanos mais debilitados, diminuindo as chances dos seres marinhos sobreviverem.

Para frear as mudanças climáticas, temos que enfrentar o problema de frente. Isso significa conter as emissões de gases do efeito-estufa, deixando de queimar combustíveis fósseis e optando por energias 100% renováveis.

Também precisamos criar vastos santuários marinhos em pelo menos 30% dos oceanos, como defendem os cientistas. Os santuários protegeriam a vida marinha de muitas ameaças diferentes, dando-lhe a chance de se recuperar e prosperar.

Desde abril, o Greenpeace está fazendo uma expedição do Polo Norte ao Polo Sul, que vai passar pelos Corais da Amazônia, para mostrar as belezas e as ameaças que rondam os oceanos do mundo todo. Essa viagem está mostrando por que precisamos de um Tratado Global dos Oceanos que proteja nossos mares. Saiba mais neste blog.

E lembre-se: a vida no mar não é apenas bonita. Ela ajuda a desacelerar as mudanças climáticas e mantém as milhões de pessoas que dependem dos oceanos para alimentar suas famílias. Então, se nós cuidarmos dos oceanos, eles continuarão cuidando de nós.

Seja um protetor dos oceanos em nosso abaixo-assinado.