Neste episódio falamos sobre a importância da participação social na formulação de políticas públicas

É você quem arruma a casa onde mora? Essa tarefa é feita por você, sozinho (a) ou é dividida entre outras pessoas que também ocupam esse espaço comum? Se há um envolvimento coletivo, já que estamos falando de algo que interfere na vida de todes, é possível dizer que há uma gestão participativa no cuidado do seu lar, certo? Bom, idealmente, assim deveria ser.

Essa mesma lógica pode ser transferida quando falamos da implementação de políticas públicas. A governança ambiental, por exemplo, demanda uma articulação coletiva entre diferentes atores para ser bem executada.

Mas quais são os critérios para a prática de uma boa governança ambiental? Em que pé estamos no Brasil? Este é o tema deste episódio, onde falamos sobre a importância da participação social na tomada de decisões que impactam o seu futuro, o do país e do meio ambiente.

Para esta conversa, contamos com a presença de João Câmara, analista ambiental do Ibama e doutor em desenvolvimento sustentável especializado em governança ambiental pela UnB, e de Elisabetta Recine, ex-presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) e coordenadora do Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutrição da UnB.

Assine o feed | Ouça no Spotify | Ouça no iOS | Ouça no Android

Links de referência sobre o tema: 

Créditos:

  • Apresentação: Camila Doretto e Rafael Silva;
  • Produção: Lu Sudré;
  • Roteiro: Camila Doretto e Lu Sudré;
  • Entrevistados: Elisabetta Recine e João Câmara
  • Sound Design: Compasso Coolab;
  • Trilha original: Marcellus Meirelles e Alexandre Luppi;
  • Edição: Mandril Audio;