Na Itália, ativistas do Greenpeace protestam pacificamente contra destruição ambiental, para recepcionar parlamentares brasileiros que participam de evento pré-COP

mostrar ativistas contra os retrocessos no Congresso Nacional
Às vésperas da Conferência Mundial do Clima, lideranças do Brasil precisam garantir a proteção ambiental e parar de defender falsas soluções © Stefano Montesi / Greenpeace

Não é de hoje que o Papa Francisco vem chamando a atenção da população mundial sobre a necessidade de cuidarmos da nossa “casa comum”, o planeta Terra. Grande defensor da Amazônia e seus povos, a maior liderança da Igreja Católica alerta que os efeitos mais graves das agressões ao meio ambiente recaem sobre as pessoas mais pobres. 

Aproveitando que, no próximo sábado, uma comitiva de parlamentares será recebida em audiência com o Papa Francisco, no Vaticano, os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco, deveriam se inspirar nas mensagens do líder católico. Nesta semana, o Papa voltou a cobrar ações concretas para combater as mudanças climáticas e afirmou que o “mal que estamos causando não se limita mais aos danos ao clima, às águas e ao solo, mas agora ameaça a própria vida na Terra”. 

Arthur Lira, vencedor do prêmio Motosserra de Ouro 2021, já demonstrou sua indiferença com a proteção ambiental e dos povos da floresta, fechando os ouvidos para a sociedade e colocando em votação os PLs da Grilagem e do (não) Licenciamento Ambiental. Atualmente, ele ainda ameaça pautar o Pacote do Veneno e propostas nocivas aos povos indígenas, como o PL 490/2007. Lira está na Itália apenas para pôr em prática a maquiagem verde já bastante usada pelo governo Bolsonaro, mentindo sobre dados e fingindo compromisso com as metas ambientais e climáticas. 

Rodrigo Pacheco, no entanto, tem a chance de impedir que a “boiada” avance no Senado com esses projetos de lei devastadores. Para isso, ele deve priorizar o bem-estar da população e a proteção do meio ambiente, e não ceder à pressão de parlamentares que representam o interesse de poucos. Em resumo, ele precisa responder a pergunta: Pacheco, de que lado você está? Amazônia ou Bolsonaro?

Para Thais Bannwart, porta-voz de Políticas Públicas do Greenpeace Brasil, a Amazônia, seus povos e o clima do planeta estarão em risco enquanto a política antiambiental de Bolsonaro continuar sendo implementada e reforçada por projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional. “Então não adianta tentarem vender ao mundo um (falso) esforço em preservar as florestas e outros ambientes naturais e contribuir para conter a crise climática, se no Brasil querem aprovar esses projetos de lei que põem tudo a perder”, ela diz.

Ativistas protestam em Roma

Nesta sexta-feira (08/10), em Roma, a comitiva brasileira composta por Arthur Lira, Rodrigo Pacheco, a senadora Kátia Abreu e outros congressistas participa da Reunião Pré-COP26, com parlamentares de países que compõem o G-20 (as 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia). Leia mais sobre a COP26 no box abaixo.

Ativistas do Greenpeace recepcionaram os parlamentares brasileiros com um protesto pacífico no Coliseu, contra a destruição da Amazônia e as boiadas que têm passado no Congresso Nacional. Veja as imagens abaixo:

“É extremamente importante que, nas reuniões pré-COP e na própria COP26, os líderes considerem o histórico desastroso com o meio ambiente desses quase três anos do governo Bolsonaro e não comprem discursos vazios ou falsas soluções para conter o desmatamento”, afirma Thais.

Dados do Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados hoje, confirmam que a Amazônia segue sendo destruída de maneira alarmante. 

Entenda a Pré-COP e a COP26

A Reunião Pré-COP26, evento do qual a comitiva de parlamentares brasileiros participa em Roma, faz parte da agenda preparatória para a Conferência do Clima em Glasgow (a COP26). Fazem parte da Pré-COP discussões sobre como ações parlamentares podem ajudar a combater e mitigar as mudanças climáticas em nível nacional, regional e internacional. 

A COP (Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas) acontece todos os anos e congrega centenas de líderes mundiais para negociar planos de combate às alterações do clima. É o maior encontro global para discutir o tema. A 26ª COP acontecerá em Glasgow, Reino Unido, em novembro. 

A conferência acontece em um momento crucial para a tomada de decisão rumo a mudanças urgentes, para garantir um futuro digno para as próximas gerações. O último relatório do IPCC, o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, publicado recentemente, afirmou ser inequívoca a influência humana no superaquecimento do planeta.

Tudo o que você precisa saber sobre a COP26 está aqui.