Diretor da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro faleceu na tarde desta segunda-feira, em Manaus, onde estava internado lutando contra a Covid-19

Isaías Pereira Fontes, da etnia Baniwa, nos deixou na tarde dessa segunda-feira, 1º/2, vítima de complicações da Covid-19 © Marivelton Barroso

É com grande pesar que o Greenpeace recebe a notícia de que Isaías Pereira Fontes, da etnia Baniwa e integrante da diretoria da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), nos deixou na tarde de 1° de fevereiro, após dias de internação lutando contra a Covid-19. Lamentamos profundamente e nos solidarizamos com familiares e companheiros da Foirn. 

Desde o início de 2021, a crise sanitária que assola o país por conta do agravamento da Covid-19 tem mostrado a sua face mais dura na região Norte do Brasil – com a falta de insumos de saúde e de resposta adequada do poder público. O enfrentamento da pandemia pelas populações indígenas tem sido feito por gente que batalha, dialoga, se mobiliza e não poupa esforços para levar apoio onde for necessário – e perdemos uma importante liderança nessa luta.  

O Greenpeace integra uma rede de solidariedade para apoiar as populações indígenas da Amazônia no enfrentamento da Covid-19 – rede na qual a Foirn tem desempenhado papel fundamental. Seguiremos unidos para somar ainda mais esforços onde for necessário.

Confira a nota da Foirn.

Nota de falecimento da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro
Com profunda tristeza, a FOIRN informa a perda de um de seus grandes guerreiros. O diretor Isaías Pereira Fontes, da etnia Baniwa, faleceu na tarde de segunda-feira, 1º de fevereiro, em Manaus, onde estava internado lutando contra a Covid-19.
Diretor de referência da NADZOERI – Organização Baniwa e Koripako, Isaías foi primordial na articulação para criação de associações indígenas. Toda a região do rio Içana está em luto.
Estendemos a nossa solidariedade aos familiares e que tenham toda a força para vencer a dor deste momento.
Isaías apresentou os primeiros sintomas da doença em São Gabriel da Cachoeira, ficou internado na Unidade de Atendimento Primário (Uapi), mantida na cidade pelo Distrito Sanitário Indígenas do Alto Rio Negro (Dsei-ARN), e depois foi transferido para o Hospital de Guarnição (HGu). Não apresentando melhoras, foi removido para a capital.
É mais uma liderança indígena, um valioso conhecedor da Região do Rio Negro que é levado pela pandemia da Covid-19 em meio a uma crise sanitária no Estado do Amazonas.
Daremos continuidade às ações exemplares de Isaías Baniwa.