Greve Global pelo Clima

O eco de uma geração 

A juventude é a maior aliada da ciência, que já alerta há tempos a urgência de enfrentarmos a crise climática. Essa juventude ecoa pelos quatro cantos do mundo uma mensagem que expressa a necessidade urgente de mudança no modo de funcionar da humanidade: precisamos superar esse sistema que valoriza o lucro e o acúmulo de riqueza nas mãos de poucos e que enxerga as pessoas como consumidoras, e não cidadãs. 

Em agosto de 2018, a sueca Greta Thunberg deu início a uma série de protestos em frente ao parlamento de seu país devido à proximidade da chegada das eleições e do silêncio das lideranças sobre o aquecimento global – quando o país acabava de sair do verão mais quente de sua história. A ação solitária ganhou os olhos do mundo, mentes e corações e se tornou o movimento Fridays For Future (Sextas Pelo Futuro, em português), como uma referência às greves feitas às sextas-feiras. De lá pra cá, jovens de vários outros países passaram a se mobilizar e a formar uma só voz na Greve Global pelo Clima.

O movimento também tem um braço brasileiro, o Fridays For Future Brasil, em que os jovens expõem suas principais demandas a políticos, empresários e aos tomadores de decisão: “Nós pedimos para que os nossos líderes mundiais cumpram com suas promessas e não façam só mais uma promessa de eleição, que tratem a crise climática como uma crise e discuta ela com a seriedade que ela é. Só assim podemos garantir o nosso futuro”, afirma Daniel Holanda, 19 anos, ativista do Fridays For Future Brasil.

No que diz respeito à tomada da ação, ao Brasil cabe principalmente proteger nossas florestas e seus povos, pois o desmatamento é o nosso maior vetor de emissões, assim como a transição para uma matriz energética 100% renovável. Precisamos olhar a natureza como aliada, e não obstáculo. Por isso, conhecer e valorizar as culturas ancestrais, indígenas, de pequenos produtores familiares, é fundamental para enxergarmos outras vias, mais alinhadas com os objetivos urgentes de redução de emissões de gases que intensificam o aquecimento global.

O preço da crise climática já chegou, e suas consequências já atingem a todos, só que impactam grande parcela dos brasileiros de forma desigual. 

Está no ar a Climalina, ativista virtual do Greenpeace para esclarecer suas dúvidas e mobilizar as pessoas pelas ações contra a crise climática. Desenvolvida em inteligência artificial, ela irá te ajudar a saber mais sobre Justiça Climática e engajar seus amigos e colegas na discussão sobre o tema. Venha conversar com a gente! Este é um jeito fácil e divertido pensado para você tirar todas suas dúvidas sobre mudanças climáticas por WhatsApp!

✅ Ao clicar no botão acima, você autoriza o Greenpeace a enviar mensagens para seu número de WhatsApp

Veja também

#Clima Justiça Climática

A crise climática já chegou para todos, mas nem todos a sentem da mesma maneira. Se chove, é a quebrada…

FAÇA A SUA PARTE