Você sabe de onde vem a carne que você come? Os supermercados onde compramos não se importam se essa carne é produzida às custas do desmatamento, que sustenta um ciclo de destruição e violência na Amazônia. É o que demonstra o estudo do Greenpeace, Carne ao Molho Madeira, que pesquisou como as sete maiores redes de varejo do Brasil lidam com o problema de fornecimento de carne proveniente de áreas de desmatamento. A avaliação revelou que nenhum supermercado conseguia garantir que 100% da carne comercializada era livre de crimes socioambientais.

A partir do levantamento das informações, o relatório mapeia como as maiores redes varejistas do Brasil vêm lidando com o problema. O resultado é assustador: dentro do ranking que resume a avaliação das empresas, nenhuma delas atinge o patamar “verde”, que corresponde a um percentual de 70% a 100%.

A avaliação leva em conta três aspectos principais da política de compra de carne bovina destas gigantes do setor: a existência e o alcance destas políticas, os critérios dessas políticas e quanto os supermercados são transparentes em relação ao tema junto a seus consumidores.

Nas últimas décadas, mais de 750 mil quilômetros quadrados da floresta amazônica brasileira foram destruídos. Aproximadamente 60% desta área virou pasto para gado. A falta de indicadores positivos é, portanto, especialmente grave diante da presença histórica do gado como o principal vetor de desmatamento da Amazônia.

Clique aqui para baixar o relatório completo.