Seguimos todos os passos do ministro do Meio Ambiente, que passou as últimas semanas viajando na Europa, e mostramos as verdades que ele tenta esconder

Ativistas protestam com faixas, cartazes e bandeiras do Brasil em frente á porta de entrada da Embaixada do Brasil em Londres

Jovens da Rede de Estudantes do Reino Unido pelo Clima (UK Student Climate Network – UKSCN), Survival International, Greenpeace e outras organizações protestam em frente à Embaixada do Brasil em Londres, última parada de Ricardo Salles na sua turnê da mentira pela Europa © Chris J Ratcliffe / Greenpeace

Depois de Paris e Berlim, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, foi recebido em Londres nesta quinta-feira (3) com protestos organizados pelos jovens da Rede de Estudantes do Reino Unido pelo Clima (UK Student Climate Network – UKSCN), pela Survival International, Greenpeace e outras organizações.

Os ativistas protestaram em frente à Embaixada do Brasil em Londres contra as políticas antiambientais promovidas pelo Governo Bolsonaro e em apoio aos povos indígenas e à floresta. Durante o protesto foram lidas mensagens enviadas por líderes indígenas. Um dos cartazes continha uma frase emblemática do cacique Raoni: “se destruírem a floresta, a gente não respira!”

Ativistas protestam em frente à Embaixada do Brasil em Londres, close em mulher usando um cocar e placa ao fundo com a frase "Salles: o ministro da destruição do meio ambiente"

Ativistas também exibiram cartazes com frases em português e gritaram “Demarcação já!”, em frente ao prédio da Embaixada do Brasil em Londres, nesta quinta (3) © Chris J Ratcliffe / Greenpeace

“Estamos em solidariedade aos jovens brasileiros, que estão fazendo tudo o que podem para lutar contra a corrupção e a falta de políticas climáticas, ambientais e de direitos humanos no Brasil. Ricardo Salles e o governo Bolsonaro devem prestar contas pelas ameaças que representam às comunidades indígenas e a inação em relação às queimadas na Amazônia”, disse Cate Davies, da UKSCN.

A mensagem é clara: o “tour da mentira” de Salles não é bem-vindo por quem se importa com o futuro do planeta.

Ativistas do Greenpeace também protestaram com cartazes e fotos da Amazônia em chamas, em frente ao prédio onde Salles teve um encontro a portas fechadas com a secretária do Meio Ambiente, Alimentação e Agricultura do Reino Unido, Theresa Villiers.

“Colocar Salles como o responsável pelas políticas ambientais no Brasil é como dar uma caixa de fósforos a um piromaníaco. A sua agenda na Europa é nada mais do que um greenwash. Até que o governo Bolsonaro mude discurso e prática e passe a garantir mecanismos de proteção da Amazônia e seus povos, todos os encontros com oficiais brasileiros e as reuniões de negócios entre países devem ser suspensos”, diz Richard George, da campanha de florestas do Greenpeace do Reino Unido.

Carro oficial do Brasil chega ao prédio do escritório da ministra do meio ambiente do Reino Unido, em Londres, enquanto ativistas do Greenpeace exibem cartazes em protesto a favor da Amazônia

Ativistas do Greenpeace protestam na frente do escritório da ministra do meio ambiente do Reino Unido, Theresa Villiers, durante a chegada de Ricardo Salles ao prédio © Chris J Ratcliffe / Greenpeace