Para acabar com a poluição do ar, precisamos de um transporte sustentável nas cidades; participe da mobilização na Avenida Paulista no próximo dia 15

Vista aérea do trânsito caótico e poluente da cidade de São Paulo

O trânsito de São Paulo também “atropela” a saúde dos moradores da cidade © João Wainer/@Greenpeace BR

Não são apenas os focos de calor na Floresta Amazônica, que entre janeiro e agosto de 2019, tiveram um aumento de 111% em relação ao mesmo período de 2018, que trazem nuvens de fumaça e doenças respiratórias. Ações baseadas em uma concepção ultrapassada de desenvolvimento – que parte do pressuposto de que, quanto mais pastos e lavouras no lugar da floresta, quanto mais estradas abertas, cidades não planejadas, indústrias poluindo e carros circulando, mais evoluído é um país -, estão matando pessoas.

O que acontece é o contrário do progresso: o Brasil ocupa o 7º lugar na lista dos países mais poluidores do mundo, e a poluição urbana é responsável pela morte de 50 mil brasileiros por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde.

A fumaceira que sai das chaminés das indústrias e dos escapamentos dos veículos coloca os brasileiros em situação de risco: quem mora na cidade está sujeito a desenvolver problemas respiratórios e doenças graves, relacionados aos gases poluentes da indústria e do transporte.

Na cidade de São Paulo, cerca de 4.700 pessoas morrem ao ano por complicações causadas pela poluição de meios de transporte movidos a combustíveis fósseis. Quando é possível tratar, a conta encarece ainda mais: segundo esta pesquisa do Greenpeace e do Instituto Saúde e Sustentabilidade, sobre o impacto do ar poluído, uma população doente pela fumaça gera gastos bilionários.

Em meio a esse cenário desolador, é preciso buscar o que resta de oxigênio para gritarmos a plenos pulmões e resistirmos. Uma ótima forma de se posicionar contra o retrocesso mascarado de desenvolvimento é agir localmente, visando o global: mover o corpo, caminhar, andar de bicicleta, patins, skate… É por isso que convidamos você para estarmos juntos na Marcha Pelo Clima – uma mobilização mundial para responsabilizar empresas e governos sobre o aquecimento global. No dia 20 de setembro, o mundo todo fará a Greve Global Pelo Clima. Veja aqui onde será a paralisação na sua cidade.

Nós do Greenpeace, em parceria com outras organizações ativistas, faremos uma intervenção e uma bicicletada na Avenida Paulista, em São Paulo, no próximo domingo (15), a partir das 10h, para chamar as pessoas para se conscientizarem sobre a importância do uso de alternativas menos poluentes ao transporte urbano.

Nossa intervenção divertida, pacífica, saudável, refrescante, e cheia de surpresas, vai abrir as celebrações do Dia Mundial sem Carro e iniciar uma semana de reflexões sobre a importância do uso de energias renováveis e eficientes no transporte, que vai culminar na Greve Global Pelo Clima do dia 20 de setembro. Traga a sua bicicleta e venha pedalar com a gente!